All for Joomla All for Webmasters
NOVEMBRO AZUL E OS CUIDADOS COM A SAÚDE DO HOMEM
16 Nov
Em 17 de novembro é comemorado o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata. A Campanha Novembro Azul intensifica neste mês a prevenção e o tratamento da saúde do homem, em especial contra o câncer de próstata. 
O câncer de próstata é o câncer mais comum e a segunda maior causa de morte por câncer nos homens. Conforme informações da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 1.201.619 novos casos e 335.643 óbitos são previstos no mundo pela doença, o que corresponde ao aumento em relação ao ano de 2012 de 9,7% e 9,2%, respectivamente.
No Brasil, a estimativa para este ano é de 61.200 casos novos e cerca de 13.772 óbitos (Segundo tumor que mais mata os homens. O primeiro é o câncer de pulmão). É o câncer mais comum no Brasil (excluindo-se os cânceres de pele) e representa cerca de 4 em cada 10 cânceres que atingem a população masculina brasileira com mais de 50 anos de idade.
Segundo o oncologista, coordenador do Serviço de Oncologia do Hospital das Clínicas da UFMG e diretor clínico da Personal – Oncologia de Precisão e Personalizada, André Márcio Murad, os principais indicadores de um estágio avançado do câncer de próstata são os problemas para urinar, sensação de que a bexiga não se esvazia completamente e sangue na urina. Dores ósseas, principalmente nas costas, sugerem a presença de metástases, fase em que a doença já é incurável. “O diagnóstico sempre deve ser obtido antes que os sintomas surjam, para que o tratamento tenha altas chances de cura”, explica.
A MÁ ALIMENTAÇÃO, A OBESIDADE E O SEDENTARISMO SÃO OS PRINCIPAIS VILÕES
Vários estudos sugerem que maus hábitos alimentares, como uma dieta rica em gordura e proteína de origem animal, alimentos industrializados, enlatados, adocicados e embutidos artificialmente conservados elevam os índices de substâncias potencialmente cancerígenas no organismo, como a nitrosamina e o IGF, que é um fator similar à insulina, com propriedades estimuladoras do crescimento de células tumorais. A obesidade e o sedentarismo igualmente aumentam os riscos. Portanto, uma dieta saudável, rica em verduras, legumes, frutas, grãos e peixes, além da prática regular de atividades físicas e manutenção do peso ideal, seriam as principais medidas preventivas.
HEREDITARIEDADE E EXAMES
Estudos de grande porte demonstram que o câncer de próstata hereditário é responsável por até 57% dos casos e tendem a ser mais agressivos e a surgir em idade mais jovem (abaixo dos 50 anos). O risco de câncer de próstata é 4 vezes maior nos portadores de mutação no gene BRCA-1 e 9 vezes maior nos portadores de mutação do gene BRCA-2. As mutações destes genes aumentam também o risco de cânceres de mama (inclusive nos homens), ovário, pâncreas e pele (melanoma).
As técnicas mais modernas de sequenciamento genômico tem tornado estes exames cada vez mais precisos e acessíveis, inclusive com custos menores e a possibilidade de realização de painéis com múltiplos genes ao mesmo tempo. O exame é feito com material da saliva ou sangue. 

PREVENÇÃO 
O melhor modo de prevenir o aparecimento do câncer de próstata é realizar o exame de toque retal e PSA periodicamente de acordo com a orientação do médico. Além disso, manter uma alimentação saudável, não fumar e praticar atividades físicas contribui para a melhoria da saúde como um todo.
EXAMES E SEGURO SAÚDE
Os homens devem manter a consulta periódica ao seu proctologista. Informações sobre consultas, exames e planos de saúde podem ser obtidas junto aos especialistas da Solid Seguros, pelos tels.:3849-3140 ou 3046-3380, de segunda a sexta, das 8:30 às 17:30.
(Fonte: portalhospitaisbrasil)

(Fonte: portalhospitaisbrasil)
PREVENÇÃO AO CÂNCER DE MAMA
07 Nov

A realização de exames de mamografia está crescendo, ao menos entre as beneficiárias de planos de saúde.

De acordo com levantamento inédito "Assistência à saúde da mulher", produzido pelo IESS, Instituto de Estudos de Saúde Suplementar, campanhas de conscientização da importância de realização do autoexame e de mamografia para combater o câncer de mama estão dando bons resultados. 
O QUE APONTA O ESTUDO
De acordo com o estudo, o número de mamografias realizadas pelos planos de saúde a cada grupo de 100 beneficiárias vinculadas a planos médico-hospitalares com idade entre 50 anos e 69 anos (faixa etária definida como prioritária para esse exame pelo Ministério da Saúde) cresceu de 43,6, em 2012, para 48,7 em 2016. Um avanço de 5,1 pontos.
O superintendente-executivo do IESS, Luiz Augusto Carneiro, destaca que ações de promoção da saúde, como a desenvolvida há 15 anos com o Outubro  Rosa são fundamentais tanto para cuidar das pessoas quanto para assegurar a sustentabilidade da saúde suplementar. 
Segundo estimativas do INCA, Instituto Nacional de Câncer, quase 58 mil mulheres serão afetadas por câncer de mama apenas este ano no Brasil. "Aumentar a conscientização, o autoexame e a detecção precoce é fundamental para combater a doença", reforça. "O diagnóstico precoce para o paciente aumenta a chance de cura ao detectar a doença no início, evitando um tratamento mais agressivo, reduzindo o tempo e os custos para esse tratamento. Para o sistema de saúde a vantagem é que o sistema fica mais eficiente, não o sobrecarregando, desse modo gerando maior qualidade de atendimento e segurança ao paciente".
PAPANICOLAU TEM MENOS REALIZAÇÕES
Segundo o estudo, enquanto a realização de mamografia está crescendo, a procura por exame diagnóstico preventivo de câncer de colo de útero (Papanicolau) tem recuado. Em 2011, as operadoras de planos de saúde registraram uma razão de 48,8 exames de Papanicolau a cada cem beneficiárias entre 25 a 59 anos. Já em 2016, essa razão foi de 46,9. Uma redução de 1,9 ponto. "Os números indicam, claramente, que precisamos nos dedicar mais a campanhas de promoção da saúde e prevenção de doenças", alerta Carneiro.
LAQUEADURA CRESCE
O levantamento do IESS ainda aponta que o número de internações para a realização da laqueadura tubária (procedimento de anticoncepção definitivo) e implante de dispositivo intrauterino (DIU) tem crescido. Na comparação entre 2015 e 2016 houve aumento de 44,4% no número de internações para laqueadura tubária (sendo 10,9 mil em 2015 e 15,8 mil em 2016). Já o aumento no número de procedimentos de implante do DIU foi ainda maior no período, saltando de 61,3 mil, em 2015, para 101,9 mil em 2016. Alta de 66,2%.
Vale ressaltar que o resultado da análise é especificamente da saúde suplementar e que um procedimento também pode ser realizado via sistema público de saúde ou em clínicas particulares e, consequentemente, não será computado nesta análise.
SEU PLANO DE SAÚDE ATENDE SUAS NECESSIDADES?
Para escolher o plano de saúde é importante definir quais são os atendimentos que ele proporciona. Consulte a Solid Seguros para conferir o custo-benefício de seu plano de saúde 3849-3140, 3046-3380, de segunda à sexta, das 8:30 às 17:30.
(Fonte: segnoticias)

ANSIEDADE: O MAL QUE AFETA 13 MILHÕES DE BRASILEIROS
30 Out

Sofrer com a ansiedade é mais comum do que muitos imaginam.

PLANO DE SAÚDE É A TERCEIRA CONQUISTA MAIS DESEJADA PELOS BRASILEIROS
25 Out

O plano de saúde é a terceira conquista mais desejada pelos brasileiros, perdendo apenas para educação e casa própria, segundo pesquisa do Ibope, feita a pedido do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS). 
A recessão econômica e o alto volume de desempregados tornaram o benefício também um fator decisivo para a escolha de um novo emprego, de acordo com 95% dos entrevistados. 
Em relação à pesquisa anterior, do ano de 2015, cresceu a proporção de brasileiros que classificam o plano de saúde como um dos bens mais importantes para se ter. Entre a população que não contava com o benefício há dois anos, 53% tinham essa percepção, sendo que o percentual subiu para 57%. O total de brasileiros não beneficiários que classificam o plano de saúde como o bem mais importante subiu de 13% em 2015, para 16% em 2016.
Entre os brasileiros que já contam com o benefício, ele é o terceiro bem mais desejado, de acordo com 67% dos entrevistados. O percentual de beneficiários que colocam o plano como mais importante que casa própria e educação é de 18%.
PRINCIPAIS MOTIVOS E NÍVEL DE SATISFAÇÃO
Os principais motivos para desejar ter plano de saúde são qualidade e agilidade no atendimento, bons médicos e hospitais, comodidade e conforto, além da rejeição à precariedade da saúde pública. Os motivos apontados por quem não tem plano são preço alto e falta de necessidade.
O levantamento entre os que têm plano de saúde mostra que 80% se dizem satisfeitos ou muito satisfeitos com seus planos. O resultado representa crescimento de 5 pontos porcentuais em relação à pesquisa anterior, em 2015.
Do total, 82% dos beneficiários de planos de saúde médico-hospitalares afirmam que recomendariam seus planos para um amigo ou parente, crescimento de 3 pontos percentuais ante a pesquisa anterior. Além disso, 87% declaram a intenção de manter o plano atual, alta de 1 ponto percentual sobre os resultados de 2015.
Segundo a pesquisa, 88% dos beneficiários utilizaram, nos últimos 12 meses, algum serviço do plano. No mesmo grupo, 90% dos entrevistados informam que conseguiram solucionar os problemas de saúde a partir dos serviços utilizados pelos planos. Os canais de atendimento foram avaliados como bons ou muito bons por 86% dos beneficiários.
(Fonte: agenciabrasil.ebc)