All for Joomla All for Webmasters
SAIBA COMO EVITAR O ACÚMULO DE SUJEIRA EM SUA CASA E AS ALERGIAS
27 Set

É só botar o pé em casa que você já começa a espirrar? Isso significa que tem poeira demais dentro do ambiente. 

SEGURO RESIDENCIAL TEM BAIXO CUSTO E INÚMEROS BENEFÍCIOS
21 Set

Seguro residencial ainda é visto como supérfluo pela maioria das pessoas. Como as despesas para manter uma casa são altas no Brasil, com IPTU, luz, gás etc., “gastos extras” acabam sendo deixados de lado.

A Proteste Associação de Consumidores, alerta para a importância desse recurso que tem baixo custo e inúmeros benefícios.
COMO FUNCIONA O SEGURO RESIDENCIAL
Na hora de escolher um seguro residencial, é possível optar por três modalidades: “somente prédio”, “somente conteúdo” e “prédio mais conteúdo”.
SOMENTE PRÉDIO
A modalidade “somente prédio” garante cobertura a danos ocorridos na estrutura do imóvel, como paredes e instalações hidráulicas. Esse tipo de proteção é indicada para proprietários que alugam o imóvel para terceiros.
SOMENTE CONTEÚDO
Já a modalidade “somente conteúdo” cobre danos ocorridos aos bens que fazem parte do imóvel segurado, como móveis e eletrodomésticos. Essa cobertura é indicada para inquilinos ou quem tem imóvel financiado pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH), que já tem embutido um seguro residencial na modalidade “somente prédio”.
PRÉDIO MAIS CONTEÚDO
A modalidade “prédio mais conteúdo” protege tanto a estrutura do imóvel quanto os bens incluídos na casa ou apartamento. Esse produto é aconselhável para proprietários que residem no imóvel.
Cada cobertura adicionada ao seguro torna a proteção mais cara. Por isso, a Proteste recomenda que o consumidor prefira somente as que encaixem às suas necessidades. E, ao assinar o contrato, a entidade orienta que o cliente fique atento aos tipos de sinistros que estão excluídos do contrato.
A PESQUISA DA PROTESTE
Acidentes acontecem, e, antes de perder o imóvel com todos os seus bens para um incêndio, por exemplo, a prevenção é a melhor solução. Por isso, a Proteste pesquisou as melhores opções em seguros residenciais nas dez maiores companhias do país.
Para saber sobre os principais resultados da pesquisa, leia a matéria completa da Exame, pelo link: http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/os-melhores-seguros-para-o-seu-imovel-de-acordo-com-a-proteste/#
SIMULAÇÃO DE SEGURO
Para obter uma simulação para seu seguro residencial, contate a Solid Seguros pelo telefone: (11) 3849-3140 ou 3046-3380, de segunda a sexta, das 8:30 às 17:30.
(Fontes: proteste.org.br; exame.abril)

SEGURO INADEQUADO DE EDIFÍCIO PODE ACARRETAR PREJUÍZOS A MORADORES
07 Ago

Moradores de apartamentos podem se vir obrigados a arcar com despesas inesperadas por não atentarem para um detalhe importante na hora de contratar ou de renovar o seguro do prédio: o tipo de cobertura contratada pelo síndico junto à corretora. 
A legislação obriga o síndico a contratar o seguro. Caso não o faça, conforme a Lei nº 4591 e o novo Código Civil, ele pode ser processado judicialmente por qualquer inadequação ou insuficiência de seguro constatada.
As palavras ‘inadequação’ e ‘insuficiência’ podem significar uma imensa dor de cabeça para o síndico na Justiça e para o bolso dos moradores do condomínio em caso de sinistro (ocorrência danosa), se o seguro contratado não for o mais indicado ao edifício. Importante destacar que pode haver casos em que apenas um morador – e não todos – seja obrigado a ressarcir eventuais prejuízos que venha a causar ao condomínio. Neste caso, também, o seguro com cobertura ampla é mais vantajoso.
“Há condomínios que deixam de contratar com uma cobertura ampla, que é a única modalidade que atende na íntegra a legislação vigente, com objetivo de reduzir custos. Embora a diferença seja expressiva em relação à cobertura básica, podendo custar, em alguns casos, até 5x mais; a cobertura ampla atende em sua totalidade todas as unidades autônomas e áreas comuns do edifício”, explica a gerente comercial e de relacionamento Alessandra Monteiro.  
“Há quem ache que a cobertura básica, por abranger cobertura em situações de explosões, incêndio etc. garante a proteção devida; no entanto, há diversos casos que podem gerar sinistro e nem sempre são percebidos pelos moradores como alagamento, inundação, desmoronamento total – inclusive por obras realizadas em apartamentos, que comprometam a estrutura do prédio”, diz. É preciso prestar atenção ao tipo de cobertura e aos valores segurados para evitar frustrações futuras.
“Convém a todos os moradores, proprietários ou locatários, conversar com o síndico sobre isso, ainda mais que o início do ano é o período em que ocorre o maior número de renovações desses seguros condominiais”, diz. O mesmo vale para condomínios comerciais, informa Alessandra Monteiro.
(Fonte: seguronoticias.com)